Conta da Netflix vai subir: veja o que a empresa fará com o dinheiro

Olá

A Netflix reafirmou que os usuários antigos do serviço terão o preço da assinatura reajustado, alcançando o patamar dos usuários mais recentes. A empresa também detalhou que o aumento valerá para todos, mas não acontecerá no mesmo momento. Os reajustes começam em maio deste ano, mas será aplicado gradualmente, sendo que os usuários mais antigos se beneficiarão do preço mais baixo por mais tempo.

A empresa tem uma justificativa para o aumento, que acontece no mundo inteiro, que vai além da natural necessidade de reajuste de preços. A Netflix quer mais capital para investir em conteúdo próprio, para tornar sua plataforma mais vantajosa sem depender da produção de filmes e seriados de terceiros.

Veja no portal Olhar Digital:

http://olhardigital.uol.com.br/noticia/conta-da-netflix-vai-subir-veja-o-que-a-empresa-fara-com-o-dinheiro/57370

Manter conteúdo de alto nível, requer investimento idem. Precisamos nos acostumar com esta ideia(e pagar por ela). E os valores atuais(Abril/2016 – no Brasil) do Netflix são ultra modestos.

Google traz novo Chromecast ao Brasil por R$400

Olá

Muito interessante trazer o produto para o Brasil por meros R$400, sendo que nos EUA custa $35.

Seria apenas a alta do cambio a justificativa?

Veja mais detalhes no portal Idgnow:

http://idgnow.com.br/ti-pessoal/2016/04/26/google-traz-novo-chromecast-ao-brasil-por-r-400/

Ou a desculpa de sempre: os impostos.

 

Brasil agora tem um ‘Uber’ para diaristas

Olá

No começo deste mês foi lançado em São Paulo o aplicativo Diaríssima, que funciona como uma espécie de Uber dos profissionais que prestam serviços domésticos.

Disponível por ora apenas no Android, o app coloca contratantes e contratados em contato direto, sem qualquer interferência de intermediadores. Nenhuma das partes precisa pagar pelo serviço, e é possível fazer avaliações sobre ambos os lados.

Veja no portal Olhar Digital:

http://olhardigital.uol.com.br/noticia/brasil-agora-tem-um-uber-para-diaristas/57373

Teremos um Uber para cada coisa!

Métodos ágeis não espalham feito vírus da gripe

Mas deveriam…

A resistência é alta, muitos ainda preferem conviver com problemas do tipo:
– cliente distante do processo
– prazos curtos
– atrasos constantes
– equipe de desenvolvimento desmotivada
– entrega de algo que nao causa impacto ao cliente

A lista é grande…

Obviamente que métodos ágeis não são a solução mágica, nem muito menos podem ser aplicados a qualquer tipo de projeto.

Mas se você possui algum dos problemas acima ou outro qualquer, por que não tentar?

Por que este medo ? Tanta desconfiança ? Faça uma pequena experiêcia.

Atualmente temos entidades sólidas e atuantes como a Scrum Alliance e IC Agile que possuem uma ampla comunidade e expertise no assunto.

Lembre-se: estes problemas podem causar baixa imunidade, e com isso a gripe pode te pegar.

Não subestime o poder de uma release em seu projeto

Olá

Não são poucas as equipes ou empresas que cometem o equívoco de trabalhar com iterações sem que elas estejam contextualizadas. Apesar da ilusão de ser ágil trabalhando com iterações, pouco muda no resultado desse esforço. Continua-se criando um grande batch (incremento) que será promovido a algum ambiente mais estável daqui a algum tempo, e continua-se trabalhando em tarefas sem saber exatamente que problema se está resolvendo.

Pra resolver este problema quando trabalhamos com iterações em projetos, existe o conceito de release. Uma release, assim como uma iteração, é um timebox. Para criar este timebox, a maioria das empresas divide o ano em 4 partes iguais, criando assim releases de 1 trimestre. Dentro destas releases, aglomeram-se as iterações, que são contextualizadas pelo objetivo daquela release. Ou seja, a principal pergunta que vai nortear o trabalho de uma release é: que problema queremos resolver com esta release? Ou seja, que problema queremos resolver neste trimestre?

 

Veja no blog da Adaptworks:

http://blog.adaptworks.com.br/2016/04/nao-subestime-o-poder-de-uma-release-em-seu-projeto/

“não basta criar iterações, aglomerar requisitos” Perfeita esta observação, pois esta embutida nela: visão do produto + alinhamento de negócios + trabalho do scrum team.

 

WhatsApp: uso pelos brasileiros revela potencial para adoção de bots

Olá

Quão receptivos seriam os brasileiros para conversar com robôs dentro de apps de comunicação instantânea? Ainda não sabemos. Mas uma coisa é certa: os brasileiros já estão utilizando o WhatsApp, por exemplo, para solicitar uma série de serviços que, no futuro, poderão ser atendidos por chatbots. Isso ficou claro nos resultados da mais nova pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box – Comércio Móvel no Brasil, cujo relatório será disponibilizado na próxima quarta-feira, 20, para download gratuito.

Veja no portal Mobiletime:

http://www.mobiletime.com.br/18/04/2016/whatsapp-uso-pelos-brasileiros-revela-potencial-para-adocao-de-bots/438002/news.aspx

Whatsapp, eita app bacana e útil.

Serviço de correio da Austrália começa a usar drones para entregas

Olá

O serviço nacional de correio da Austrália começou a testar entregas por meio de drones. As informações são do jornal local Sydney Morning Herald. De acordo com a publicação, os testes vão durar duas semanas e receberam inclusiva a bênção da Civil Aviation Safety Authority.

Veja no portal Idgnow:

http://idgnow.com.br/mobilidade/2016/04/18/servico-de-correio-da-australia-comeca-a-usar-drones-para-entregas/

Que tal um e-dronex ?

 

Samsung e USP vão capacitar desenvolvedores de aplicativos

Olá

A Samsung e a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) anunciaram uma parceria para a criação de um centro de treinamento para desenvolvedores. Chamado do Ocean-USP, ele une a infraestrutura de um laboratório da Samsung – que antes funcionava na Zona Sul de São Paulo – e o espaço cedido pela USP. A empresa não revelou o investimento realizado para a criação do espaço de capacitação.

Veja no portal Estadão:

http://blogs.estadao.com.br/link/samsung-e-usp-inauguram-centro-de-capacitacao-tecnologica/

Viva estas iniciativas.